sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Feriado?

Feriado, hoje? Eu passei o dia dirigindo e/ou me contendo pra não ser rude. Passei o dia tendo que encarar o fato de que o exemplo de vida que eu recebo dos meus avós maternos é de pessoas que trabalharam muito a vida inteira sem pensar em qualidade de vida e metem os pés pelas mãos ao tomar decisões súbitas. Seja a decisão de vender uma empresa, seja a decisão de investir pesado num negócio ou seja a decisão de mudar de casa. Impressionante como as coisas parecem sempre piorar. Meu avô, com 85 anos, está querendo mudar de cidade pra um local mais longe, sem estrutura pra um casal idoso enfermo, para acompanhar de perto o negócio onde ele aplicou o dinheiro que juntou a vida toda. Ou seja, pra trabalhar. Detalhe: ainda não completou um ano que ele infernizou a vida da família inteira falando que ia sair dessa mesma cidade pois não aguentava mais morar nela. Vendeu a casa que morava, gastou bastante dinheiro na mudança, fez minha mãe e minha tia acharem um apartamento pra ele alugar em Santos as pressas e desde o dia em que chegou lá ele não para de reclamar. Do mesmo jeito que fazia quando na cidade pra a qual ele quer voltar.

Isso é vida? Minha avó, com 87 anos e Mal de Alzheimer, não sabe nem direito onde está. Fomos ver uma casa hoje pra alugar e ela não conseguiu andar pra ver a casa inteira, a força acabou na metade. E ele quer ir pra longe de médicos, filhos e netos. E quando argumentamos, ele se irrita e quer ir embora.

Espero que eu não seja tão cabeça-dura quanto ele.


Post scriptum: Essa postagem foi escrita no celular na segunda-feira, 2 de novembro, dia de finados, enquanto esperava todos se aprontarem para voltarmos a São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário